Archive for the ‘Em Cartaz’ Category

h1

INCEPTION – “A ORIGEM”

domingo, 15 agosto, 2010

Inception Poster

“A Origem” (Inception) têm sido, desde Avatar, o filme com maior repercussão dentro da mídia e com melhores resenhas dos críticos especializados. De fato, trata-se de um filme diferenciado, que propõe discussões e pontos de vista muito diferentes do que temos visto nos últimos lançamentos de Hollywood.

A trama se desenrola dentro do subconsciente humano, aonde Dom Cobb (Leonardo Di Caprio) e seu grupo roubam informações e segredos de empresários durante seus sonhos, sempre contratos por grandes corporações. Trata-se de uma trama de espionagem indústrial, só que não dentro de fábricas ou escritórios e sim dentro da mente do ser humano e toda sua complexidade!

Trata-se de um filmeque vale a pena ser visto e revisto para conseguir entender as sutilezas e detalhes de um roteiro bem estruturado, complexo e extremamente bem montado pelo diretor Christofer Nolan (de THE DARK KNIGHT) que envolve o espectador, cria suspense e faz refletir .

O clima soturno faz lembrar o último Batman, contando com alguns atores  do filme do cavaleiro das trevas. O elenco inclusive, liderado pelo ótimo Di Caprio (que vem de grandes filmes como “Ilha do Medo”, “Apenas um Sonho” e “Diamante de Sangue”) mescla novos nomes como Joseph Gordon-Lewitt (500 dias com ela), Tom Hardy (RockNRolla) e Ellen Page (Juno) com atores consagrados como a ganhadora do Oscar Marion Cotillard (Piaf) e Michael Cain (The Dark Knight) e Ken Watanabe (O Último Samurai).

A mistura dá liga, o filme, apesar de muito longo (Quase 3 horas),  tem uma trama consistente, com começo, meio e fim e traz aos cinemas novamente um roteiro inteligente, talvez inteligente até demais!

h1

OS DESAFINADOS

quinta-feira, 18 setembro, 2008

Dirigido pelo veterano Walter Lima Júnior (“Menino de Engenho”), “Os Desafinados” combina em seu elenco atores e músicos para contar a história de uma banda fictícia nos idos da bossa nova. O filme, com roteiro assinado pelo cineasta e por Susana Macedo, estréia nesta sexta-feira no país e traz Rodrigo Santoro, Selton Mello, Claudia Abreu, Alessandra Negrini e os músicos Jair Oliveira e André Moraes.

Na condução da narrativa há um diálogo entre passado e presente. Nos dias atuais, a morte da cantora brasileira Gloria Baker (Claudia) na Itália serve como pretexto para a reunião de um grupo de amigos, que vão realizar um documentário para a televisão sobre uma banda chamada Os Desafinados.

O filme tem corre fácil, conta uma história inusitada e recheada de pitadas históricas. O elenco muito bem selecionado se completa em cena, dando seu toque a banda de Bossa Nova. Selton Mello tem uma participação pequena mas mostra o porquê é um dos grandes atores de sua geração.

Um dos grandes problemas do filme é sua duração. Apesar da maravilhosa trilha sonora, belas locações, história consistente e elenco sólido, a duração do filme o torna cansativo, após a segunda hora (o filme beira as três) todos esse elementos acabam ficando em segundo plano pelo roteiro um pouco prolixo. Além disso, não sei se é uma constante em todas as salas, mas onde assisti (Unibanco Artplex) o filme estava legendado, o que causou uma sensação angustiante… Além disso, alguém me explica o porquê que Selton Mello dublou Arthur Kohl, que faz seu personagem mais velho, ficou muito amador!

Em 2008, “Os Desafinados” participou de diversos festivais e recebeu prêmios. No Cine Ceará, levou prêmio de trilha e um troféu especial do júri. Em Paulínia, ganhou melhor atriz (Claudia Abreu) e ator coadjuvante (Paes Leme). No Festival de Guadalajara, no México, recebeu o troféu de melhor fotografia, assinada por Pedro Farkas (“Não Por Acaso”).

Mais um bom filme nacional, com um enredo que foge do convencional eixo favela/sertão. Espero que o cinema nacional continue produzindo bons filmes com temáticas pesadas e relativas ao cotidiano nacional, mas que também olhe para este tipo de produção despretenciosa com mais carinho.

h1

NICOLAS CAGE EM PERIGO

quarta-feira, 17 setembro, 2008

Nicolas Cage erra mais uma vez. O ator apostou mais uma vez em um péssimo filme e mancha uma carreira com grandes filmes como “Despedida Em Las Vegas”. Estou falando do seu novo fime “Perigo em Bangkok”, um thriller bizarro, no qual Cage interpreta um assassino de aluguel que viaja pelo mundo cumprindo missões com excelência. No entanto, em Bangkok ele encontra um amor e um discípulo, o qual está decidido a passar tudo que sabe.

O filme é, no mínimo, péssimo! A história é digna dos bons tempos de Charles Bronson, misturando vingança e pseudo-justiça. Cage, que já errou em “O Sacrifício” (o pior filme da história, na minha humilde opinião) volta a carga neste filme, que não deve nada ao último e derradeiro Rambo… Cage inclusive parece com o soldado do apocalipse John Rambo em algumas das cenas regadas a muito sangue e tiros.

h1

O PROCURADO

quarta-feira, 17 setembro, 2008

O último filme estrelado pelos badalados Angelina Jolie (Sr. E Sra. Smith) e James McAvoy (O Último Rei da Escócia) deixa a lógica de lado. Na trama, Angelina Jolie encarna a assassina profissional Fox, que muda a vida do protagonista que interpreta Wesley, um funcionário da área contábil de uma empresa afogado na frustração de sua própria rotina. Como se já não bastasse, Wesley é traído por sua namorada com seu melhor amigo, um típico perdedor, que lembra o protagonista de “Clube da luta”.

Baseada nos quadrinhos de Mark Millar e J.G. Jones e dirigido pelo russo Timur Bekmambetov o longa-metragem traz tiros que viajam em círculo, balas que derrubam outras balas e assassinos que vencem a força da gravidade, tudo em imagens geradas por computador com apuro técnico de primeira. O cineasta constrói um mundo que se aproxima do videogame, onde as pessoas não parecem ter sentimentos e a violência é rápida e brutal.

A primeira meia hora do filme impressiona, tanto pelo ritmo imposto ao começo da saga de Wesley quanto pela atuação magnífica de McAvoy. Em uma das cenas mais contagiantes, ele explode contra sua chefe e lança toda sua raiva contra o amigo que faz sexo com sua namorada. Uma pena que o filme descamba para o impossível do impossível, impensável até para os padrões de Matrix e outros clássicos da ficção.

Quanto à atuação de Jolie, ela é discreta para não dizer enfadonha… Uma boa atriz como ela não precisaria se sujeitar a tais papéis, a exemplo do que faz Morgan Freeman, que vai desde clássicos como “Um Sonho de Liberdade” a blockbusters como “The Dark Knight”.

Para quem deixar o cérebro em casa e for disposto a entrar em um mundo regado a muito sangue e para os fãs de efeitos especiais (realmente magníficos no filme) “O Procurado” pode ser uma boa pedida, mas preparem-se, pois aos meus olhos o filme tenta ser um “Clube da Luta”, mas só tenta…

Segue a melhor cena do filme, para dar o gostinho:

h1

IRON MAN, AGAIN

terça-feira, 13 maio, 2008

Pois é, o filme Homem de Ferro é um verdadeiro sucesso. Já é líder de bilheterias nos USA e também no Brasil a mais de 3 semanas e nem a estréia de Speed Racer conseguiu superar o êxito de Robert Downey Jr e sua turma…

Uma dica para quem curtiu o filme é buscar a trilha sonora, alguns blog a exemplo do  QUADRINHOS e TV estão disponibilizando as músicas para download. Além disso, vale muito a pena visitar o site oficial do filme (http://ironmanmovie.marvel.com/) para conseguir algum conteúdo exclusivo de altissima qualidade e se impressionar com o site, que como o filme, é cheio de efeitos e minúcias

Para saber mais do filme, já temos uma resenha no ar, visite também: https://longametragem.wordpress.com/2008/05/03/iron-man/

h1

IRON MAN

sábado, 3 maio, 2008

A última adaptação de quadrinhos para o cinema acaba de estrear. Trata-se do filme HOMEM DE FERRO, lançado no Brasil no último dia 30/04, o qual assisti ontem. Minha espectativa era muito alta, o trailer entregar que teriamos um filme com muita ação, tencologia, trilha sonoro forte e uma grande atuação de Robert Downey Jr. De fato, todos os ingredientes aparecem na história, o que ficou faltando foi um enredo mais inteligente, com uma trama mais bem dividida pelo filme.

O filme começa bem, se ancorando no protagonista que interpreta Tony Starks, magnata da industria bélica. Ao fazer uma apresentação de um novo míssil, ele é sequestrado e obrigado e construir um exemplar semelhante para forças rebeldes da região. Fingindo construir o míssil, o gênio Starks contrói a armadura e consegue escapar. Essa parte do filme é muito morosa, o clima escuro das cavernas dá sono e ficamos torcendo para quando a ação voltar ao filme.

O restante do filme mostra ele desenvolvendo a armadura final já no seu laboratório e se conscientizando que a industria bélica é um jogo de morte, o qual ele não quer participar. Além disso, já enfrenta seu primeiro inimigo.

Outros destaques são a trilha sonora que tem músicas de Black Sabbath e AC/DC e o carisma e personalidade de Robert Downey Jr, o qual lembrem-se já interpretou até Chaplin mas não conbseguiu se firmar como uma das grandes estrelas de Hollywood pelo seu problema com as drogas. Além disso, Jeff Bridges, que surge irreconhecível na pele do vilão Obadias, e Gwyneth Paltrow completam o elenco.

Fica a recomendação. Homem De Ferro entretem, mas não chega ao nivel de filme de super-herói de Batman e Homem Aranha. Assistam, mas abaixem as espectativas.

P.S: Durante os trailers passou o do próximo Batman, “O Cavaleiro Das Trevas”. Esse sim merecerá toda a nossa espectativa. Christian Bale e Heath Ledger prometem ser uma mistura explosiva.

h1

QUEBRANDO A BANCA

sexta-feira, 2 maio, 2008
Divulgação

O filme tem como roteiro o best-seller Bringing Down the House, de Ben Mezrich. Onde um aluno brilhante do M.I.T (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), Ben Campbell (Jim Sturgess), que tem o sonho de cursar medicina na universidade de Harvard, é recrutado por um grupo de estudantes que aos finais de semana e feriados, secretamente, vão a Las Vesgas jogar BlackJack.

O grupo é liderado pelo professor de matemática e gênio em estatísticas Mickey Rosa (Kevin Spacey), vencedor do Oscar de Melhor Ator, por “Beleza Americana” (2000), que cria um método com uma técnica especial para contar as cartas do jogo e reverter as probabilidades do blackjack a favor deles.

A princípio Ben Campbell tem como meta atingir 300 mil dólares para conseguir pagar a universidade de Harvard, porém começa cada vez mais ficar encantado e fascinado pelo dinheiro, pela vida que leva em Vegas e também por sua amiga Jill Taylor (Kate Bosworth) que fez o papel de Lois Lane em Super-Homem, O Retorno, em 2006. A trama começa a ficar mais emocionante quando um detetive do cassino Cole Williams (Laurence Fishburne, Matrix em 1999) está de olho no grupo e pode acabar com o esquema.

A direção do filme é de Robert Luketic, o mesmo das comédias “Legalmente Loira” e “A Sogra”. Quebrando a Banca que é baseado em uma historia real, onde, Ben Campbell da vida real chama-se Jeff Ma, possui fatos que provavelmente todos que assistem não acreditam, mas por mais incompreensível que possam parecer, por se tratar de um longa-metragem e não de um documentário o filme é uma excelente pedida, por conseguir mesclar ação e aventura sem grandes exageros e com um leve toque de comédia.